domingo, 31 de março de 2013

A fantasia da Páscoa



Bom dia, para quem acordou cedo, antes das crianças, para esconder ovinhos de Páscoa no jardim, no quintal ou mesmo dentro do apartamento. E assim, manter viva a fantasia que faz nossas crianças sonharem e soltarem a imaginação. E, quando estão crescendo, soltar seu espírito de investigação ao tentarem descobrir, por lógica, qual a verdade.

Sim, tudo isso é gostoso demais para curtir em família.

Um ótimo filme que fala sobre as lendas infantis, incluindo o Coelho da Páscoa, e sua importância é A Origem dos Guardiões. Vale muito a pena assistir com as crianças. 

E aproveitando o dia, está rolando na internet um vídeo super legal sobre a Páscoa, narrado por uma criança. Assistam com seus filhos!






Vejam tambémno blog: A Páscoa e as crianças!



quarta-feira, 27 de março de 2013

PEC das domésticas. E as mães como ficam?


O mercado de trabalho doméstico entrando em rebuliço... E as mães, alguém já se perguntou como ficam?

Acho super merecidos os direitos que serão adquiridos. Assim como os empregados de uma empresa, os empregados domésticos de fato precisavam de uma regulamentação que lhes protegesse e garantisse benefícios. Porém, os dois lados da moeda precisam ser observados. E essa mudança cultural e econômica é difícil de ser assimilada e ajustada de uma hora para outra.

Economicamente falando, muitas famílias não terão mais condições de arcar com os custos de uma empregada. Consequentemente, muitas delas perderão o emprego.

Culturalmente falando, transformar a "relação familiar" que existe em muitas famílias com as pessoas que trabalham em casa em uma relação meramente comercial não é o ideal para quem tem filhos pequenos. E por "relação familiar" não me refiro à informalidade, não, me refiro ao relacionamento carinhoso que existe (ou deveria existir) em muitas famílias com aquelas que cuidam dos seus filhos.

Agora vai se iniciar uma guerra? Uma guerra por controle de livro de ponto, por pagamento de hora extra, por intervalo de almoço...?

Por outro lado, vai ser muito bom ver muitas mães voltando a serem mães integralmente... Sim, por que o que farão aquelas mães que "não conseguem" acordar de madrugada e transferem esta responsabilidade às babás?? E o que farão aquelas mães que não vivem 1 minuto sem babá? Mudança de paradigma!

Quanto a isso, não me queixo, o que vai ser difícil mesmo é conciliar o horário de trabalho das mães com as 8h diárias da babá. Vejam bem, para que uma mãe possa trabalhar, é necessário que a babá esteja em casa antes dela e que só saia quando ela retornar. Considerando uma mãe que trabalha 8h, fora o horário do almoço, a babá deve aguardar até que ela chegue, trabalhando horas a mais. Se é justo ou não, acredito que seja algo peculiar desta função. Nas empresas não haverá concessão para que as mães possam sair mais cedo, concordam? E não me venham com essa história de largar o emprego, pois mãe também tem carreira.

Aí, muitos pais terão que fazer rodízio, vão deixar as crianças até mais tarde na escola ou vão apelar para as avós, tias, vizinhas! Meus Deus! Estou um pouco aliviada por meus meninos estarem maiores agora. É bem mais complicado para quem tem bebês.

Mas no fundo, quem mais será afetado são os patrões que ainda insistiam na "clandestinidade", não assinavam carteira ou recolhiam INSS ou pagavam menos que o mínimo. Isso realmente é impensável e será muito justo se a lei conseguir evitar.

A cultura brasileira é muito dependente do trabalho doméstico, diferentemente de outros países da Europa ou Estados Unidos por exemplo. Não temos uma vida prática nem uma boa assistência de como deixar nossos filhos. Mas vamos ter que nos adaptar à nova realidade. Ao mesmo tempo, os empregados domésticos pecisarão lutar para manter vivo este emprego, que acolhe grande parte da população.


Imagem do site Extra.globo.com


Acompanhe as notícias:

Especialistas preveem mudança 'cultural' na relação patroa-empregada
O que muda para empregados e patrões com a PEC das Domésticas
Senado aprova PEC das Domésticas; categoria terá direito a hora extra e FGTS

domingo, 3 de março de 2013

Mais respeito, eu sou criança!

Imagem do Google



Mais respeito, eu sou criança!* já dizia o escritor Pedro Bandeira (que meu caçulinha insiste em chamar de "Eu Bandeira", porque se chama Pedro também :). Em seu livro que leva esse título, ele reúne diversos poemas com este tema.

"Todo mundo diz que as crianças devem respeitar os adultos. E os adultos? Não têm de respeitar as crianças?" (Pedro Bandeira)



E assim me inspirei a escrever o post de hoje, na minha tarde de domingo, após um almoço não muito agradável em um restaurante. Não sou muito de ir a restaurantes com as crianças, porque não acredito que sejam ambientes para elas. Prefiro comer em casa ou em restaurantes rápidos ("entrou comeu"), do que em restaurantes "a la carte" (conversa, pede, conversa, espera, come, conversa... rs), porque definitivamente não são programa para crianças!

Descobri o que já sabia e o que vocês também devem saber! Somos muito mal atendidos, enquanto mães e pais. Quem de nós nunca se aborreceu ou desejou uma estrutura melhor em um restaurante?

Pois eu decidi listar o que deveria ter no restaurante dos sonhos das mães! Algumas ações simples poderiam mostrar o respeito e o interesse em atender bem dos restaurantes às famílias.

Lá vai minha lista:

1. BANHEIRO INFANTIL

Para mim, este é o item mais importante da lista. Um banheiro exclusivo para crianças e LIMPO!! Criança não consegue "prender", criança precisa sentar no vaso, criança requer maior higiene, os pais também querem acompanhar os filhos no banheiro e os bebês precisam de um trocador!

(obs: o restaurante que frequentei hoje estava com os vasos imundos, entupidos e ainda tinha uma barata morta no chão, mas meu filho estava tão apertado que não tive opção. Claro que reclamei horrores!!)


2. CARDÁPIO INFANTIL

Muitos restaurantes já oferecem o cardápio infantil, inclusive dando prioridade na cozinha no preparo dos pratos. Criança com fome não espera, não é? Pois todos os restaurantes deveriam oferecer esta opção.

3. TALHERES INFANTIS

Sentamos à mesa e recebemos aquele garfo enorme para a criança comer. É justo? Quando peço uma colher normalmente me dão uma de sopa, que mal cabe na boquinha delas. Para mim o ideal era cada restaurante ter os talheres para uso exclusivo de crianças. Eu fico com um pouco de nojo em compartilhar. Quando eram menores eu sempre levava de casa. :P

4. COPOS DE VIDRO

Outro item que deveria ser obrigatório: copos plásticos, tanto para evitar acidentes com as crianças quanto para evitar prejuízo para o restaurante!

5. CADEIRAS INFANTIS

Isso a maioria dos restaurantes já oferece, apesar de nem sempre serem confortáveis...

6. ENTRETENIMENTO

Para o bem do próprio restaurante (rs) eles deveriam oferecer algum entretenimento. Tem tantas ideias legais!! Desde o simples papel para colorir com lápis de cera, até os parquinhos. Agora não vale enganar!! Tem cada parquinho meia boca e mal localizado... O que nós pais queremos é poder olhar as crianças enquanto comemos! Se o parquinho fica escondido, não conseguimos ficar à mesa!! Eu, por exemplo, dificilmente saio com babá, então preciso ficar de olho. Muito legal é a ideia de alguns restaurantes de fazerem parceria com brinquedotecas, cobrando à parte pela área de recreação com monitores.


Vamos sonhar que não custa nada, não é?? E vocês, também sofrem com restaurantes que não estão adaptados para receber crianças?



RESTAURANTES DE SALVADOR QUE PASSARAM NO TESTE:
  • Baby Beef: possui uma brinquedoteca cheia de video games. As crianças adoram. É toda de vidro, o que permite que a gente fique de olho. Possui cardápio infantil!
  • Barbacoa: possui uma brinquedoteca bacana, porém fica em um segundo piso, longe dos pais. É necessário levar babá ou deixar com monitoras. Como os meus são pequenos, não deixo ainda não.
  • Porto Brasil: possui parceria com um parquinho com monitores. Bem legal. Tem que chegar cedo para conseguir mesa perto desta área.
  • Varanda Lilás: pizzaria que funciona à noite e oferece uma mesinha com massinha de pizza (verdadeira) para as crianças brincarem de pizzaiolos. Ideia bacana e divertida!
  • Pereira: também possui parceria com uma brinquedoteca.


O restaurante que fui hoje e que perdeu no teste foi o Picuí: banheiro infantil imundo. Pratos e talheres velhos. Muito barulhento. Parquinho mixuruca, longe, quente...


Para ter mais opções de restaurantes para ir com crianças em Salvador, consulte a lista do Blog Pequenópolis e lembre-se de pegar informações atualizadas antes de ir!



*******************************************************************************
Sintam-se à vontade para compartilhar aqui com os demais leitores os restaurantes que merecem nossa indicação ou os que vocês não indicam de jeito nenhum. Não esqueçam de informar a cidade!
*******************************************************************************


Veja mais sobre este assunto em "Dia do cliente: pequeno grande consumidor".


*Mais respeito, eu sou criança!
Editora: Moderna
Categoria: Literatura Infanto-Juvenil / Literatura Crianças 8-11 Anos
Super recomendo!