terça-feira, 16 de outubro de 2012

As mães sumiram das pracinhas!




As mães sumiram das pracinhas. As mães sumiram do playground. Estão sendo substituídas pelas babás.

As mães não querem acordar cedo. As mães não querem deixar de curtir a noite. E os filhos vão ficando com as babás.

As mães querem ir ao shopping sem ser atrapalhadas. As mães querem viajar sem ser incomodadas. Então vão ao shopping e viajam... levando as babás!

As mães não sentam para brincar. As mães não contam historinhas à beira da cama. As mães não botam mais o próprio filho para dormir. As mães não trocam fralda nem auxiliam o filho no banheiro.

Essas mães se deixaram substituir pelas babás. Não, não é falta de tempo. Pouco tempo todas nós temos. Seu tempo pode ser curto, mas bem aproveitado.


Imagem: Uol Mulher


"A função da babá deveria ser dar suporte aos pais nos cuidados com as crianças. Mas não são poucas as famílias que delegam as próprias responsabilidades a essas profissionais. Até mesmo nos fins de semana, em que boa parte do tempo livre deveria ser dedicada aos filhos, há pais que não abrem mão de sua presença: no parque, no shopping, na festinha de aniversário dos amigos ou outro passeio qualquer, lá está a babá dando comida à criança, levando-a ao banheiro, contando historinhas ou brincando com ela" - Por Heloísa Noronha, Uol Mulher: "Delegar a criação dos filhos a babás pode dificultar vínculos entre crianças e pais".


É claro que no mundo de hoje, muitas de nós precisamos ter babás. Mas existe uma diferença muito grande entre ter babás que auxiliam as mães e ter babás que substituem as mães. Quem leu o post que escrevi "Filhos das Babás" sabe muito bem do que estou falando!!

Também não adianta matricular o filho na escola mais cara, comprar os brinquedos mais modernos, vestir com roupas de marca, colocar tv e vídeo game no quarto. Criança quer amor e atenção. Criança quer a mãe e o pai. Criança quer a família toda. E é tão bom quando os pais querem isso também. Não há nada mais gratificante na vida do que um filho!

E foi com base no tema "Menos presentes, mais presença" que o grupo Infância Livre de Consumismo pautou sua campanha do Dia das Crianças. Vale muito a pena ler o texto da campanha!!








EPISÓDIOS...


Recentemente, vivenciei alguns episódios de mães iludidas - aquelas que acham que a babá está realmente tomando conta do seu filho. Essas babás criticavam as próprias patroas e a maneira como cuidavam (ou não cuidavam!) dos próprios filhos.

Em um dos episódios, uma criança de 3 anos brincava de pegar objetos na beira da piscina. A mãe estava ocupada conversando com as amigas de costas para o filho. A babá estava cuidando da irmã do menino. Quando foi abordada por um adulto para que observasse o perigo, simplesmente disse que avisassem à mãe, porque aquela criança era desobediente e ela não ia se responsabilizar. Ao ser avisada, a mãe respondeu: "A babá está lá olhando". Não estava!

Em outro episódio, enquanto a mãe ficava sentada durante um aniversário de criança, comendo todos os salgadinhos que serviam, sua filha - um bebê de menos de um ano - passeava no colo na babá e dividia lambidas do picolé. Ao ser avisada por mim, ficou perplexa! Mas não tirou a bunda da cadeira para salvar a filha das bactérias alheias (já contado em "O que os olhos não vêem...").





Cada um decide seu caminho, mas não se perca nem esqueça que o filho é seu e não da babá! E isso fará uma grande diferença para ele e para você.


#noregrets





16 comentários:

  1. Amei o seu cantinho parabéns, vou passar sempre por aqui, eu ando sempre nas pracinhas com os babys.
    Bjinhus
    www.gustavoegaby.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    A sua constatação me dá arrepios! E o pior é que os exemplos são muito frequentes e claros. Depois as consequências aparecem...

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olha, veja bem... existe uma linha muito tênue entre praticidade e irresponsabilidade e isso pra mim acaba entrando em todas as áreas da maternidade.
    Eu me pergunto praticamente todo dia porque existem pais que decidem ter filhos, pois vejo crianças tão jogadas, sem receber atenção, vejo bebês sendo mau tratados pq no começo, quando pequenos eles choram demais e dormimos pouco que paro e pergunto:
    - Porque você quis ser mãe?

    Acho que antes de Babá eu amaria ter uma empregada doméstica todos os dias na minha casa, assim ela limparia, faria comida, lavaria, passaria minhas roupas e eu ficaria exclusivamente pra Clarinha!
    Tenho prazer em cuidar da minha filha e por aqui esse papo de: ela só tem 3 meses, depois você cansa ou você é assim porque ela é a primeira não cola, pois eu desejei ser mãe, fui atrás da realização deste meu sonho e sabia que no meio do sonho, eu teria os pesadelos rsrsrs

    Como sempre eu AMO seu blog! Sou sua fã!!!

    beijos
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz com seus elogios Paola! Seja sempre bem vinda!! Obrigada pelos comentários.

      Excluir
  4. Vc tem uma visão clara do que é a maternidade, e que bom que consegue estar presente. Mas, o mundo está longe da perfeição. Conheço mães que equalizam bem com as babás e conheço mães que delegam e pronto. O final disso não é tão legal, mas, tenho que respeitar a escolha de cada um. Por isso, faço o melhor (e tem erro pra caramba) aqui em casa. Tento estar presente, fazer escolhas que priorizem Joauqim, mas tem muita crise no meio de tudo isso :) Bjs
    Fabi
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem erros e crises para todas nós! O importante é nos esforçarmos para fazer o melhor e com muito amor. Boa sorte para todas nós!!

      Excluir
  5. Vc tem uma visão clara do que é a maternidade, e que bom que consegue estar presente. Mas, o mundo está longe da perfeição. Conheço mães que equalizam bem com as babás e conheço mães que delegam e pronto. O final disso não é tão legal, mas, tenho que respeitar a escolha de cada um. Por isso, faço o melhor (e tem erro pra caramba) aqui em casa. Tento estar presente, fazer escolhas que priorizem Joauqim, mas tem muita crise no meio de tudo isso :) Bjs
    Fabi
    Mulher e Mãe
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
  6. Quando engravidei,mesmo não tendo sido planejado,eu e meu marido decidimos que não teríamos babá,eu ia parar de trabalhar p/ cuidar exclusivamente dela,e assim tem sido,não me arrependo dessa decisão,sei e entendo que nem toda mãe pode fazer isso,mas tem aquelas que não trabalham e assim mesmo terceirizam os filhos.Cada um é dono dos seus atos,vc é responsável por aquilo que cativas,não recleme se seu filho ama mais a babá que vc(isso acontece).
    Tenho o maior prazer de levar minha filha ao shopping(ela adoraaaa),levo ao playground,faço muitos passeios com ela,mas é verdade que se v^poucas mães com os filhos,um dia me perguntaram se a minha pequena era minha filha,eu respondi que sim.
    Parabéns pelo post.
    bjs
    #amigacomenta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Silma, eu acho que não importa se a mãe trabalha ou não. Das duas formas ela pode ser ausente ou presente. Depende da sua vontade e das suas prioridades. Obrigada pela visita. Beijos.

      Excluir
  7. Jamile, seu post está perfeito! Eu sinto isso também principalmente aqui. E não se restringe apenas as americanas. As brasileiras se americanizaram e quem sofre são os filhos, que passam praticamente 12 horas com a babá ou em Day Care. Antes de ser mãe, eu não tinha essa visão. Hoje, depois da maternidade, não consigo ser conivente com isso. A criança precisa da presença e do tempo dos pais para se desenvolver emocionalmente. Triste essa falta de consciencia. bjsss
    Tamy #amigacomenta

    ResponderExcluir
  8. Felizmente,sempre pôde acompanharde perto o crescimento da minha filha e vale muito a pena, a educação eo amor que uma mãe dar é diferente e um dia sua filha vai crescer, criar asas e voar...bjs jamile

    ResponderExcluir
  9. Post muito bom mesmo, compartilho da mesma opinião.Tenho visto cade vez mais mães que deixam a educação dos filhos nas mãos das babás e ainda reclamam quando o filho é desobediente.Qualquer mãe, que se preze, arranja um tempo para brincar com seus filhos.

    ResponderExcluir
  10. Pois é, e vc acredita que ter babá também é sinônimo de status?? sou médica e sempre me perguntaram se teria babá, e todos ficavam surpresos quando a resposta era não. Também ficavam surpresos por eu ter parado de trabalhar por 5 meses, e neste tempo fiquei só eu e meu fofinho, sem intermediários. Foi o tempo mais delicioso da minha vida. Hoje ele fica na escolinha ( tem 5 meses) e todo o tempo que posso, fico com ele, mesmo em pequenos intervalos, como horário de almoço. Fico com pena de mães que abrem mão destes momentos, quem perde é toda a família, e o pior, deixam de ficar com os filhos para ter tempo com futilidades. Belo post! Flávia #amigacomenta

    ResponderExcluir
  11. Muito bom. Uma coisa é ter a babá como a terceira mão nos cuidados com os filhos, outra muito diferente é a babá ocupando o papel da mãe. O certo seria a babá dar um passo a frente quando os pais precisam sair de cena, e não o contrário: pais enlouquecidos e sem saber quando a babá falta.

    ResponderExcluir